"
Siga-nos

Especial

Murizzz e Nitro opinam sobre ida de jogadores do Overwatch para VALORANT

Jogadores criticaram a administração da Blizzard com o jogo

VALORANT está atraindo jogadores de diversas modalidades dos esportes eletrônicos e os de Overwatch são os que mais estão de olho no FPS da Riot Games. E isso está acontecendo porque a Blizzard não está fazendo um bom trabalho na administração do jogo, na opinião de Gabriel “Nitro” Gaspar e Murillo “murizzz” Tuchtenhagen, dois importantes nomes do cenário brasileiro.

Vice-campeão da 2ª temporada da divisão sul-americana do Overwatch Contenders 2020, Nitro afirma ao VALORANT Zone que “Overwatch está em decadência por conta de aspectos que a Blizzard deixou de trabalhar. Não tem nada a ver com outro jogo chegando e este matar o Overwatch“.

Campeão das duas temporadas do Contenders de 2019, murizzz segue a mesma linha de Nitro dizendo que “Blizzard vai ter que mudar e trabalhar muito pra reverter a situação atual que o competitivo de Overwatch se encontra“.

É muito mais por conta da administração da Blizzard do que a Riot impondo algo diferente

Gabriel “Nitro” Gaspar

Em relação ao cenário brasileiro, Nitro vê a chegada de VALORANT como “uma luz no fim do túnel“. O jogador aponta que no servidor nacional “você não consegue nem achar jogo quando está nos rankings mais altos. Com isso, você tem que buscar [partidas] no servidor norte-americano. Inclusive, por conta de um sistema que impossibilita a galera das regiões mais espalhadas e com menor numero de players, o matchmaking se tornou desbalanceado“.

Também tem a questão do público, que está caindo. São poquíssimas pessoas que assistem, cada vez menos interessadas e cada vez mais reclamando. Eu nunca vi tanta reclamação como atualmente, antes mesmo de VALORANT ser anunciado“, completa.

Nitro é um dos principais nomes do Overwatch no Brasil | Foto: Reprodução / YouTube

ADAPTAÇÃO

Por mais que sejam dois títulos do gênero FPS, Overwatch e VALORANT possuem diferenças nítidas, com o segundo sendo mais tático do que o primeiro. Por conta disso, aqueles que migrarem do jogo da Blizzard para o da Riot Games precisarão de um tempo de adaptação, que será difícil na opinião dos dois entrevistados pelo VALORANT Zone.

Sobre a adaptação dos jogadores de Overwatch que cogitam para o FPS da Riot Games, murizzz acredita que “a grande maioria terá dificuldade em se adaptar ao VALORANT porque é um jogo completamente diferente, no qual pequenos pontos muito específicos do Overwatch“.

Nitro também acha que a adaptação vai ser difícil, mas para aqueles que só jogaram Overwatch: “Adaptação é totalmente diferente porque são jogos diferentes. A única coisa que o jogador de Overwatch tem é o timing das habilidades e como usá-las. Senti muito mais semelhança [do VALORANT] com o CS, até mesmo na dependênciade round. Geralmente um round vai mais para quem dá mais bala do que para quem usou melhor as habilidades“.

O jogador lembra, contudo, que “Overwatch é um jogo recente e a grande maioria dos jogadores brasileiros possuem uma bagagem de outros jogos. Tem gente que veio do Team Fortress 2 e do CS. Eles possuem uma base muito forte em quesito de mira“.

Não tem porque ficar no Overwatch. Era um jogo que tinha tudo para ser absurdo, mas ao que parece muitas tomadas de decisão por parte da Blizzard fizeram apagar a chama da esperança de todos os jogadores

Gabriel “Nitro” Gaspar
murizzz em ação pela Lowkey em torneio internacional de Overwatch | Foto: Blizzard

RISCO?

Jogadores de outras modalidades que já migraram ou anunciaram que vão competir em VALORANT estão sendo criticados porque muitos agreditam ser muito cedo para tal movimentação já que o FPS da Riot Games ainda se encontra em fase beta.

Murizzz concorda que existe um risco, mas diz que não é tão grande porque “o nome da Riot e a história deles no comepetitivo de LoL trazem muita confiança a todos que estão apostando em VALORANT. Sobre o competitivo, logo menos estaremos vendo alguns campeonatos e organizações entrando no jogo“.

Já Nitro tem opinião diferente: “Eu não imagino que tenha risco. Não tem porque ficar no Overwatch. Era um jogo que tinha tudo para ser absurdo, mas ao que parece muitas tomadas de decisão por parte da Blizzard fizeram apagar a chama da esperança de todos os jogadores. A galera que fazia parte do Tier 2 não tinha muita esperança porque é uma parte do cenário que nunca foi foco da Blizzard“.

OPINIÃO SOBRE O JOGO

Tanto Nitro, quanto murizzz já vem testando VALORANT desde quando a fase beta começou em 7 de abril para América do Norte, Comunidade dos Estados Independentes (CEI), Europa e Turquia. Nitro participou do primeiro teste do servidor brasileiro, antes dele ser lançado nesta terça-feira (5).

Um jogo com muito potencial. Eles acertaram muito em ter se inspirado na ‘gunplay’ base de CS e adcionado infinitas possibilidades ao gameplay geral com a opção de jogar com diferentes agentes“, analisa murizzz.

Apesar de não ter hypado muito o jogo, murizzz fala que quanto mais foi consumindo conteúdo sobre o jogo, mas o FPS foi se tornando agradável: “Se tiver algo que reprovei nese jogo, citaria que o slow na movimentação quando atingido é forte demais“.

Na opinião de Nitro, VALORANT “é muito liso. Parece que está bem codificado em vários aspectos. Jogar com ping baixo deu pra perceber que dá pra fazer as coisas com mais abrangência. Eles conseguiram fazer o simples e evoluir ao máximo“.

Quanto ao que não gostou, o jogador aponta “a questão do hitbox não mudar quando você está pulando. Acho que poderiam trabalhar melhor a hitbox dos personagens dentro das animações, para cada personagem ter uma animação igual, principalmente quando pular“.

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club

Veja mais