Siga-nos

Sharks

Noticias

A gangue que se tornou predadora no Brasil: a trajetória da Sharks até o Masters da Islândia

A equipe começou como um fake, mas teve a maior evolução de um time no cenário nacional

Jéssica Liar/Sharks

A gangue que se tornou predadora no Brasil: a trajetória da Sharks até o Masters da Islândia

A Sharks será a segunda representante brasileira no primeiro VALORANT Masters internacional. Assim como a Team Vikings, o time foi montado do zero no começo de 2021 e, atuando como fake, conseguiu bons resultados e melhorar cada vez mais o estilo de jogo até ser contratada pela organização portuguesa e se estabelecer como a segunda melhor equipe do país.

+ frz, gaabx, Havan Liberty e demais destaques do VCB Finals | Spike Plant #25
+ Riot realiza correção e Yoru volta a ser habilitado na Breeze

Entretanto, o começo no VALORANT para cada um dos integrantes desse elenco não foi só de alegrias. O quinteto tem formação em diferentes jogos de FPS e migraram para o VALORANT logo nos primeiros meses de jogo.

Matheus “fraSAN” de Almeida e Gabriel “gaabx” Carli são oriundos do Counter Strike: Global Offensive. Fra jogou por inúmero times em 2020, desde Falkol, passando pela Vincit e chegando na No2b; lá, o capitão encontrou gaabx, que estava na organização desde setembro, e disputaram juntos o classificatório para o First Strike.

Matheus “DeNaRo” Hipólito, que fez carreira como jogador profissional de Crossfire, atuou com fra pela Vincit no começo do VALORANT competitivo e depois foi chamado para a Team Vikings; o jogador ficou quase três meses com a organização, mas não conseguiu nenhum resultado expressivo e foi um dos que saíram na reformulação da equipe.

Foto: Rafael Veiga/DRAFT5

Wallacy “prozin” Sales e Michel “fooX” Felype, campeões mundiais da modalidade com a Black Dragons, passaram a jogar pela própria organização no VALORANT, mas não tiveram vida longa na organização. prozin jogou por meses na tag VIMDOLOL até ser chamado para a RED Canids.

Os cinco jogadores terminaram a temporada passada sem contratos ativos com nenhuma equipe e se juntaram para uma nova empreitada em busca do lugar ao sol no circuito competitivo da Riot Games.

A INVESTIDA DO TUBARÃO

Atuando com a tag “Gangue do fra”, o primeiro compromisso da equipe foi na D2E Series Brazil e não teve grande destaque, sendo eliminado nas quartas de final da DELIRAWOW. Com um mês de treinamentos, os comandados de fra voltaram como “SQUAD5” e conseguiram se classificar para a primeira fase do VALORANT Challengers Brasil (VCB).

Poucos dias depois, o time conquistou o primeiro título ao bater a favela aimers na grande final da Chroma Cup. O fracasso no primeiro VCB motivou uma troca no elenco, com Michel “fooX” Felype dando lugar a Winicius “light” Alves.

A ideia de chamar o jovem jogador foi de prozin, que chama a atenção nas ranqueadas. “Sabia que ele iria se adaptar muito bem ao time. Os meus companheiros concordaram e o light encaixou muito bem, assim como tínhamos previsto“, declarou prozin durante uma coletiva do VCB.

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo do VALORANT? Então, siga o VALORANT Zone nas redes sociais: TwitterFacebook e Instagram.

O jogador chegou para ocupar a função de controlador e mostrou ser a peça que faltava na engrenagem. Ao todo, o novo time titular jogou 23 partidas e venceu 17 confrontos. Das cinco derrotas, três foram para a VKS e duas para a FURIA.

Logo após a adição de light, a S5 conquistou o título da terceira edição da Aorus League Brazil. Além disso, a equipe aplicou um 2 a 0 na final contra a Gamelanders. Esse resultado chamou muito a atenção e fez acelerar as negociações com a Sharks, que oficializou a contratação do quinteto no começo de março.

A história com a organização portuguesa começou no Masters da primeira etapa, onde a equipe caiu nas quartas de final para a VKS. Desde então, a Sharks teve, talvez, o maior crscimento como time no
Brasil.

Buscando sempre um estilo de jogo mais tático, em conjunto, a equipe não teve muitas dificuldades na segunda etapa para alcançar as finais regionais e foi uma das poucas que conseguiram causar dor de cabeça para a dominante VKS.

A Sharks assegurou uma das vagas para o Masters de Reykjavik com o vice-campeonato do Challengers e vai para a Islândia cheia de confiança. Assim como um Tubarão-branco, que gosta de águas frias, a Sharks se sente em casa no país nórdico para devorar os adversários e buscar o primeiro troféu internacional do VALORANT.

Foto por: Jéssica Liar

A Sharks estreia no dia 24 de maio contra a NUTURN Gaming, às 17h30, horário de Brasília. O VALORANT Zone fará a cobertura completa do torneio e para não perder nada, basta acessar a aba “Campeonatos” na página principal do site e ficar sempre informado

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club
Anúncio

Veja mais

Anúncio

Mais em Noticias