Siga-nos

Especial

“Temos que manter essa positividade e não nos afundarmos sozinhos”, comenta Sacy

Coletiva também contou com a presença de jogadores da Liquid, Gambit e Sentinels

Depois do quarto dia de competição do mundial de VALORANT, os jogadores das equipes da Team Vikings, Liquid, Gambit e Sentinels participaram da coletiva de imprensa. O brasileiro Gustavo “Sacy” Rossi comentou que a equipe entrou no jogo contra os russos sem nenhuma pressão e mais.

A equipe que começou perdendo o primeiro mapa da série, teve uma vitória convincente na Bind. Sacy comentou o que aconteceu entre os mapas. “Nós não sentimos pressão em jogar contra a Gambit porque eles foram campeões do Masters Berlin então não temos obrigação de ganhar deles. Então tá, perdemos contra eles e eles são o melhor time do mundo atualmente, então vamos nos divertir, vamos jogar a próxima partida, não importa se perdemos o primeiro jogo (mapa), então resetamos o mental e focamos no segundo jogo.”

Ainda sobre a Split, no qual a VKS perdeu de 13 a 6, Sacy comentou que a maior dificuldade do time foi que eles o mapa deles não foi bom o suficiente. “Não estudamos tanto assim, não nos sentimos confortáveis igual a Gambit, então acho que ficamos meio perdidos, também teve uma diferença de composição. Nós vamos trabalhar mais a nossa Split nos próximos jogos.”

Gustavo “Sacy” Rossi. Foto: Michal Konkol/Riot Games

Sobre a virada no terceiro mapa, o brasileiro comentou que o que faltou para fecharem a Icebox foi por conta do nervosismos e também pela adaptação que a Gambit teve ao longo do mapa. “Acho que não podemos tirar o mérito deles, porque não estamos jogando contra qualquer time, estamos jogando contra o time que acabou de ser campeão do Masters. Eles leram muito bem a gente, tínhamos condições sim (de vencer), o nervosismo afetou, mas também foi mérito da Gambit.

Questionado se o apoio e paixão da torcida brasileira deixou o jogador mais leve para disputar os jogos, Sacy afirmou que sim. “Eles nos fazem se sentir confortáveis, tem a pressão de que temos que deixar o Brasil orgulhoso porque não somos o melhor time de VALORANT atualmente, mas acho que nós, Vivo Keyd e FURIA mostramos que podemos enfrentar o mundo, acho que o que o Brasil mais precisa é de tempo.”

Em relação ao próximo jogo que será contra o vencedor de Team Secret e Crazy Raccon, Sacy comentou sobre o psicológico do time no momento. “Ou a gente vai se afundar ou vamos nos animar e com certeza vamos pelo lado positivo. A gente mostrou para nós mesmos, não só para o público, mas para nós do time, que nós conseguimos bater de frente contra qualquer time e isso vai dar um boost de confiança que a gente ainda consegue garantir a vaga para os playoffs. Então acho que o psicológico em si está bom, acho que temos que manter essa positividade e não deixar nos afundarmos sozinhos.”

Colin Young-Wolff/Riot Games

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo do VALORANT? Então, siga o VALORANT Zone nas redes sociais: TwitterFacebook e Instagram.

A Gambit saiu com a vitória em cima da Vikings, o capitão Igor “Redgar” Vlasov comentou como foi que a equipe conseguiu virar o placar no último e decisivo mapa. “O que preparamos para a Icebox não saíram do jeito que queríamos. Não conseguimos controlá-las no ataque. No lado defensivo dissemos: ok, é o nosso lado bom, sabemos como contra atacá-los, então o placar estava 12 a 6. Se ganharmos 2 ou 3 rodadas, eles vão ficar desapontado. E foi isso, punimos eles com os erros e conseguimos a vitória.”

O capitão comentou que a vitória teve lado bom e lado ruim. “Nós deixamos ficar aquele placar, nós podíamos ganhar, mas não desse jeito. Podíamos ter feito muito melhor antes e talvez não fosse para a prorrogação. Mas foi bom ter mostrado que conseguimos voltar no jogo, mostramos que temos o espírito de campeão”.

Questionado se a Gambit havia subestimado a Team Vikings e que isso teria reflexo no placar elástico que a equipe brasileira colocou, Redgar negou e comentou que já sabiam que os adversários eram fortes.

“Nós já treinamos contra eles antes de sabermos os grupos, então sabíamos que eles eram muito fortes. Eles jogam muito bem, eles nos puniram com nossos erros na Bind e na Icebox também. Nós conhecemos o estilo de jogos deles, tentamos counterar, mas não tivemos muito sucesso, mas nós nos adaptamos um pouco e conseguimos contra atacá-los.”

Foto: Colin Young-Wolff/Riot Games

A Sentinels perdeu de 2 a 1 para a Team Liquid no Grupo B. Com a derrota, o time irá jogar contra o vencedor de FURIA e KRÜ Esports. Na coletiva, Jared “zombs” Gitlin falou porque a equipe escolheu Shane “Rawkus” Flaherty para ser treinador. “Ele tem muita história com os jogadores da line-up, e nós estávamos confiantes de que ele poderia nos ajudar.”

O norte-americano foi direto em relação em relação a KRÜ e a FURIA e comentou que a Sentinels está confiante e irá passar para os playoffs independentemente de quem eles enfrentem na última partida do grupo.

O jogador também comentou a diferença entre jogar do palco e do hotel. “Definitivamente é bem pior, acho que nós temos maior vantagem no palco, poderíamos ter tido um final diferente na partida e aqui nós tivemos a experiência de jogar do hotel. Acho que esses setups são bem piores e aqui não tem ar-condicionado. “

Team Liquid (soulcas na direita). Foto: Lance Skundrich/Riot Games

Com a vitória em cima da Sentinels, a Team Liquid é mais uma equipe a se classificar para os playoffs. A equipe europeia ficou em primeiro do Grupo B e agora espera o sorteio do chaveamento das quartas de final para saber quem irá enfrentar.

O jogador Dom “soulcas” Sulcas falou na coletiva pós-jogo que a equipe está em um bom momento e será difícil derrotá-los. “Não acho que tenha muitos times que possam nos derrotar na nossa forma atual, porque estamos super confortáveis nesses jogos e quando um time está nesse momento às vezes é difícil pará-lo.”

O britânico foi questionado sobre o desempenho da Team Vikings contra a Gambit neste sábado (4) e se os times brasileiros estão superando as expectativas. “Eles estão definitivamente jogando bem, é muito bom ver as outras regiões competindo com a Europa e América do Norte. É legal assistir porque você nunca sabe o que vai acontecer nesses torneios e as pessoas adoram ver os azarões ganhando. Eu estou muito animado em jogar contra um time brasileiro nos playoffs.”

O atleta da Liquid comentou que não estão com medo de enfrentar nenhum time, mas que os oponentes mais difíceis serão Gambit, Vision Strikers e até a Sentinels de novo.

“Foi uma partida muito pegada, poderia ter acontecido qualquer coisa então que esses times serão as maiores ameaças para nós, mas estamos confortáveis agora, estamos meio que “intocáveis” então vamos continuar assim, jogando nosso melhor e não subestimar nenhuma equipe.”

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo do VALORANT? Então, siga o VALORANT Zone nas redes sociais: TwitterFacebook e Instagram.

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club

Veja mais

Anúncio