Siga-nos

Especial

“Sem nenhuma organização a gente não ficava”, revelou celinett após estreia no Game Changers Series Brasil 1

Jogadoras defendiam as cores da INTZ angels antes de serem contratadas pela B4

Divulgação/B4

“Sem nenhuma organização a gente não ficava”, revelou celinett após estreia no Game Changers Series Brasil 1

Na noite da última sexta-feira (11), a jogadora da B4 angels, Celine “celinett” Borges, concedeu entrevista exclusiva ao VALORANT Zone após derrotar a equipe do Cruzeiro por 2 a 0, em partida válida pelo Game Changers Series Brasil #.

A jogadora comentou sobre o tempo que passou sem organização, também revelou que em nenhum momento isso foi um problema para a equipe, já que, segundo ela “temos um time muito bom que sempre chega nas finais”. Celinett ainda acrescentou que: “A gente sabia que sem nenhuma organização. a gente não ficava. Só precisávamos escolher a melhor opção para gente”.

Celine também revelou o que, no seu ponto de vista, a equipe pode melhorar como conjunto, para poder superar a Gamelanders, que atualmente vem sendo um estorvo na vida da B4. As duas organizações são consideradas as duas melhores equipes femininas do Brasil:

“Eu acho que falta um pouco mais de maturidade, geralmente como a gente joga contra a Gamelanders a gente acaba cometendo erros que a gente não comete, temos que pensar mais, principalmente em rounds importantes porque elas tiram muito rounds da manga. Falta maturidade para perceber os rounds importantes e não deixar que elas embalem”, revelou.

Quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo do VALORANT? Então, siga o VALORANT Zone nas redes sociais: TwitterFacebook e Instagram.

Game Changers Series Brasil #1

Sobre o campeonato, a jogadora r se mostrou bastante animada, tecendo bastante elogios à organização, e, apesar da vitória na primeira partida, Celine acredita que os pequenos erros que aconteceram foi devido ao nervosismo da estreia:

“A gente cometeu alguns erros. Esse evento é o maior que está tendo, então a gente acaba entrando muito hypada, batimento cardíaco lá em cima. Agora que a gente já estreou, digamos assim, acho que a gente pode errar menos no campeonato e se sair melhor”, comentou a jogadora.

Ao ser questionada sobre o favoritismo da equipe para a conquista do campeonato, a player foi simples e direta, mostrando bastante confiança em suas companheiras. A jogadora também revelou a possibilidade de utilizar a Breeze nas próximas partidas, também comentou sobre o perfil criativo e inovador do elenco:

“Nosso time já criou muita coisa, que outras equipes já copiaram da gente. Sou uma pessoa criativa, então pode ter coisas que podemos criar na Breeze que outros times vão querer copiar”

Por fim, a jogadora comentou sobre o que, na sua visão, leva à B4 e a Gamelanders serem mais bem sucedidas se comparadas ao restante do cenário feminino. Além de estrutura e planejamento, Celine comentou sobre o peso da experiência de outros FPS:

“Eu acredito que seja estrutura mesmo, por exemplo: os times precisam de ótimos jogadores, mas também precisa de uma organização, uma cabeça, e eu acho que no começo as meninas que vieram de outros jogos acabavam tendo uma vantagem sobre as meninas que não competiam, as meninas do CSGO do PB tiveram uma cabeça a mais, mais tempo para pensar, para se organizar”, finalizou a jogadora.

A próxima partida da B4 angels pelo Game Changers Brasil #1 será no próximo domingo (13), contra a Havan Liberty, em partida que será decidida em MD3, que definirá a finalista da competição. Toda cobertura será feita pelo VALORANT Zone e pode ser acompanhada em nosso site.

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club
Anúncio

Veja mais

Anúncio

Mais em Especial