Siga-nos

Especial

Com reforço de Dgzin, FURIA chega ao LQC buscando seu momento

O jogador conversou com o VALORANT Zone para falar sobre a preparação para o torneio

O sentimento que ficou foi de frustração, mas bola pra frente. Se aquele semestre foi daquela forma, é porque não era o momento ainda”, diz Douglas “dgzin” Silva sobre sua passagem pela Gamelanders no primeiro semestre de 2022. Atualmente, o jogador compõe o elenco da FURIA que disputará o Last Chance Qualifier (LCQ) sul-americano por uma vaga no VALORANT Champions 2022 e busca encontrar o seu momento ao lado da nova equipe.

Como preparação para o campeonato, o VALORANT Zone conversou com o mais novo integrante da equipe para entender a situação que os Panteras chegam ao torneio mais importante para a equipe.

Para o segundo semestre de 2022, a organização optou por mudanças: Rinaldo “ableJ” Moda se despediu da organização após seis meses para dar espaço à dgzin. Com o reforço do duelista que tomou os holofotes da Gamelanders, a organização busca trazer novos ares e uma visão diferente para seu ecossistema.

O que muda é que depois que eu cheguei aqui eu trago tranquilidade e alguns pensamentos diferentes também. Algumas coisas fora da caixa, então eles ouvem e absorvem bastante. É mais essa tranquilidade, mais calma pra eles conseguirem jogar o 100%. Motivação também, tô sempre elogiando eles o tempo todo”, conta o jogador.

No entanto, apesar da substituição, os jogadores não compartilham da mesma função. Atuando como duelista, dgzin chega na FURIA para ocupar o lugar de um flex. Mas isso, segundo o próprio, não é uma grande preocupação para a equipe.

Como o ableJ era flex e eu duelista – e as vezes eu jogava de Chamber -, sempre me vi com um potencial enorme de jogar com outros agentes. Aqui na FURIA, o Carlão explora muito isso dos jogadores e é algo que eu gosto muito”.

Ainda não posso falar quais vou jogar, mas vão ter alguns agentes surpresa que eu nunca joguei em campeonato. O Carlão confia muito em mim e isso me deixa mais leve pra fazer essa função nova. Eu ainda vou ser duelista, mas em alguns mapas vou fazer uma gracinha ou outra”, continua.

Por muitos motivos, o jogador pode vir a ser uma faca de dois gumes para a equipe durante o campeonato. Ao mesmo tempo que pode ser uma carta na manga para surpreender os adversário também pode ser uma pedra no sapato, uma vez que o tempo juntos pode não ser o suficiente para prepará-los.

Sobre isso, Dgzin fala sobre como tem sido suas semanas desde que chegou ao plantel. “Minha chegada foi muito boa. Eu estava com uma expectativa ok e quando cheguei aqui elas multiplicaram por milhões. Tô muito confiante e aqui eu me encontrei um pouco. Estamos muito motivados”, conta.

Reencontro com Mazin e a preparação

A chegada na FURIA também marca o reencontro de dgzin com seu ex-companheiro de equipe – e amigo próximo -, Matheus “Mazin” Araújo. Parceiros desde o Crossfire, os jogadores já demonstraram publicamente suas admirações uns pelos outros e dgzin fala sobre como a parceria afeta sua vontade de ganhar.

Depois que a gente se encontrou e conquistou as paradas, sempre tivemos essa meta de jogar juntos, não importa em qual organização ou jogo. É algo que me motiva muito porque ele é um moleque que confia muito em mim, estar ao lado de pessoas assim é muito bom porque você se sente em casa […] Tô muito animado”, observa o jogador.

Divulgação/FURIA

Anteriormente, ao longo do ano de 2022, a FURIA não conseguiu os resultados que tanto esperavam: tanto na primeira quanto na segunda etapa do Challengers, a equipe caiu durante os playoffs e não conseguiu alcançar o Top 3 brasileiro.

Com uma campanha sem participações internacionais, os Panteras chegam ao Last Chance Qualifier em uma tentativa de mudar as cartas do jogo. O jogador fala sobre como tem sido a preparação da equipe para o momento mais importante do ano até então.

Como diz o próprio campeonato, é a última chance de jogar o mundial, então tudo o que está fora do jogo de coisas negativas não deixamos interferir. Estamos sempre motivados, alinhados e com o pensamento batendo. É algo muito gostoso. Estamos dando tudo de nós no servidor e fora do jogo estamos fazendo academia, se cuidando, cuidando do psicológico e do corpo. Então vamos chegar bem preparados sim”, crava dgzin.

A última chance

Faltando menos de uma semanas para disputar o LCQ, o pensamento da FURIA não poderia ser outro a não ser ganhar tudo. Para a reta final, dgzin busca passar a seus companheiros um pensamento de respeito àqueles que vão enfrentar, mas sempre tendo seu objetivo em mente e à frente de tudo.

O pensamento que a gente entra é de ganhar, sem dúvidas. Mas é o que eu falo com os moleques, a gente tem que ter humildade e respeitar as equipes porque eles também estão trabalhando em busca do sonho deles. Mas claro, dentro do servidor é sem respeito algum. Estamos ali pelo nosso sonho

Eu trago muito isso pros moleques, que é nossa última oportunidade e pra dar valor. Eles entraram nessa linha e eu fiquei muito feliz, vamos chegar pra acabar com tudo nesse campeonato. É tudo ou tudo!”.

A FURIA entra em jogo no Last Chance Qualifier sul-americano já neste sábado (06). Em sua primeira partida, os Panteras enfrentarão a FUSION a partir das 16h (de Brasília) em uma série melhor de três. O campeonato é a última chance das equipes de garantirem uma vaga no VALORANT Champions 2022.

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club

Veja mais

Anúncio