Siga-nos

Especial

“Chegamos na LAN e mostramos quem é o melhor time”, afirma matheuzin após vitória da paiN sobre Imperial

Jogador falou sobre duelo contra Havan Liberty e opinou sobre Gameladers contra B4

Bruno Alvares / Riot Games

“Chegamos na LAN e mostramos quem é o melhor time”, afirma matheuzin após vitória da paiN sobre Imperial

No First Strike brasileiro, paiN Gaming e Imperial voltaram a se enfrentar, sendo que desta vez a campeã do Gamers Club Ultimate II levou a melhor. Ao falar sobre a vitória, na entrevista coletiva pós-jogo, Matheus “matheuzin” Brito disparou: “chegamos na LAN e mostramos quem é o melhor time“.

Tal triunfo, na opinião do jogador, teve um gostinho especial porque representou a quebra da sequência negativa da paiN diante a Imperial visto que nos dois últimos encontros entre as equipes, os Imperadores levaram a melhor no Spike Series – ainda como INGAMINGe na Copa brMalls.

Era o time onde a gente não estava conseguindo fechar a MD3. Nas duas MD3, ganhamos o primeiro mapa e ganhamos bem. A gente meio que desligou. Os últimos dois mapas (dessas duas séries) estavam sendo muito demérito nosso, não tirando o mérito deles“, avaliou.

O 2 a 1 da paiN sobre a Imperial teve direito a placar elástico na Split, mapa no qual, segundo matheuzin, os adversários se vanglorivam de ter “a melhor no Brasil”. Mas de acordo com o jogador, “chegou na LAN e não foi isso o que aconteceu. Então, tem um gostinho diferete por conta disso. Trabalhamos em cima do nossos erros nessas duas derrotas e nos adaptamos. Chegamos na LAN e mostramos quem é o melhor time”.

Falando em adaptação, uma das realizadas pela paiN foi Murillo “murizzz” Tuchtenhagen ter utilizado Jett na Split. “Ele consegue ter um impacto gigante no mapa. Essa pequena mudança que fizemos na Split nos deu muita confiança para chegarmos aqui e ganharmos a Split deles”, afirmou matheuzin.

DUELO CONTRA HAVAN LIBERTY

A Havan Liberty será a adversária da paiN no duelo valendo a vaga na grande final da First Strike. Os ex-NOTRAB, contudo, se classificaram para a semifinal sem precisar jogar por conta da saída da Vorax Fusion da competição.

Matheuzin acredita que isso possa ser prejudicial para os oponentes. “Pode ser um pouco (negativo) para eles por eles não terem estreado ainda e a gente já fez. Eu não conheço muito os meninos da Havan, então não sei como é a experiência deles em LAN. Então, sim, acho que pode influenciar um pouco negativamente para eles“, avaliou.

Ao ser questionado se já haviam estudado a Havan, matheuzin respondeu “um passo de cada vez. Primeiro a gente se preocupou muito com a Imperial. Hoje vamos ver as coisas sobre a Havan“.

Querendo ou não é um time que chegou agora no topo do cenário porque antes eles não apresentaram tantos resultados bons e chegaram na seletiva se classificado bem. Por mais que a gente não tenha jogado contra eles, acho que a gente fazendo o nosso jogo é capaz de ganhar“, afirmou.

GAMELANDERS CONTRA B4

Na coletiva, matheuzin ainda opinou sobre a outra semifinal, que será protagonizada por Gamelanders e B4.

“Vai ser um um jogo bem pegado. A molecada da B4 tem uma experiência bem grande em LAN e a Gamelanders, hoje, querendo ou não, está sendo o melhor time do Brasil. Então, vai ser um jogo bom e acredito que o time que ganhar, possivelmente, pode ser campeão”, analisou.

Gamers Club
Parceira OFICIAL da RIOT GAMES no Brasil e tem como objetivo fomentar o cenário competitivo de VALORANT, com campeonatos e guias para você ter a melhor experiência.
Conheça a Gamers Club
Anúncio
Anúncio

Veja mais

Anúncio

Mais em Especial