Siga-nos

Especial

A visão de VALORANT por jogadores de Counter-Strike

pancc, raafa, amd e spacca opinaram sobre o FPS da Riot

Arte por VALORANT Zone

A visão de VALORANT por jogadores de Counter-Strike

Desde antes da chegada da fase beta de VALORANT, comparações entre o FPS da Riot Games e outros jogos vêm sendo feitas, principalmente o Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO), que é atualmente o título do gênero mais jogado no mundo.

Apesar de não ter o sistema de granadas, uma das principais marcas do CS:GO, VALORANT traz movimentação semelhante, só que um pouco mais lenta. As smokes e as molotovs deram lugar às habilidades dos personagem, os agentes, e podem ser utilizadas de infinitas formas.

Tanto no exterior, quanto no Brasil vários são os atletas do CS que estão se aventurando no FPS da Riot Games. Foi por isso que o VALORANT Zone procurou alguns destes jogadores para saber quais são as opiniões deles quanto VALORANT.

pacc defende a W7M no CS | Foto: Rafael Veiga / DRAFT5

FILIPE “PANCC” MARTINS

Achei que é um jogo bem simples. O client do jogo é bem simples. Você consegue acesso fácil às partidas e com dois cliques já está jogando.

Dentro do jogo eu achei que, apesar de ter habilidades, é um jogo bem rápido. Não é um jogo lento. As habilidades dos personagens estão nesse jogo pra suprir as bombas. Eu senti que a mecânica é bem parecida com Counter-Strike, principalmente a movimentação. Com exceção do fato das velocidades dos personagens, mais lentas.

Senti também que os mapas são um pouco mais desbalanceados para o lado de defesa, mas como o jogo ainda está no beta, assumo que tudo isso ainda será balanceado. Gostei das armas, gostei do recoil das armas. Acho que elas são balanceadas e o jogo tem de tudo pra fazer sucesso.

É um jogo de fácil acesso, leve, que possui características que atraem o público e que viciam quem joga.

amd é uma das referências femininas do CS no Brasil | Foto: CBCS

AMANDA “AMD” ABREU

O jogo é muito rápido. Acho que ainda está cru em questões táticas, principalmente vendo as possibilidades que têm. E são muitas! Mas a jogabilidade é boa.

Sinto diferença no hitbox (comparado à CS:GO). Acho muito fácil dar HS e precisa de muitos tiros pra matar com spray no corpo. Sobre as armas, acho que considero umas três boas. De resto, pelo fator “precisam de muitas balas pra matar”, nem valem a pena. Não é igual no CS, que forçar compensa.

Gostei muito da ideia de habilidades + tiro. Isso motiva a nossa capacidade de pensar rápido, de ação e reação. Acho algumas coisas desbalanceadas, como ultimates, por exemplo. Acredito que isso será corrigido.

Não gosto muito da ideia de não ter overtime, mas acho que por costume do Counter-Strike. No geral, é um jogo muito divertido e fazia tempo que não me encantava com outro jogo de tiro além do CS.

raafa é outro jogador da W7M no CS | Foto: Rafael Veiga / DRAFT5

RAFAEL “RAAFA” LIMA

Sinceramente eu achei o jogo bem divertido. A trocação de tiro é bem parecida com a do Counter-Strike, mas as habilidades dos personagens torna tudo ser mais legal.

Gostei bastante do jogo. Os “picks” vão fazer bastante diferença na hora da partida, e isso não existe no CS:GO. Acho que têm aspectos a serem melhorados.

Particularmente, eu não gostei do aspecto visual das armas. Achei elas bem feias e muito parecidas.

Spacca é um dos grandes nomes do CS | Foto: Lucas Spricigo / DRAFT5

GUILHERME “SPACCA” SPACCA

Particularmente, eu achei um jogo bem divertido para passar o tempo e principalmente criar conteúdo pra stream.

Ele tem algumas características fundamentais do CS:GO e outros jogos, por isso acredito no sucesso da franquia e numa ascensão do cenário competitivo. Quem ainda não jogou, vale a pena buscar uma key.

Em algumas regiões do mundo, a fase beta de VALORANT começou em 7 de abril. No Brasil, chegou no dia 5 de maio com o servidor

Anúncio

Veja mais

Anúncio

Mais em Especial